Nos dias 12 e 13 de setembro, Portugal assistiu pela televisão a dois dias de diretos televisivos, com grande solenidade e dignidade, mas também com alguns momentos comoventes e humanos, tendo sido possível conciliar as honras de estado com os desejos da família do antigo Presidente Jorge Sampaio. No entanto a reportagem televisiva não esclareceu completamente a simbologia de cada um dos momentos a que assistimos e recebemos pedidos de esclarecimento de alguns associados.  Sendo objetivos da nossa Associação, segundo o artº 3º dos Estatutos, fomentar a investigação e a partilha de informações neste domínio e publicar trabalhos e estudos com interesse para o sector, pedimos a colaboração de um grande especialista de Honras de Estado para nos esclarecer a todos.

É para a APorEP um privilégio e uma honra poder publicar em primeira mão o texto em anexo, que se intitula Cerimónias Fúnebres de Estado de Jorge Sampaio – Uma Visão Protocolar do cerimonial militar”

Agradecemos a colaboração do Major da GNR Eduardo Nuno Henriques Mendes. Licenciado em Ciências Militares pela Academia Militar, pós-graduado em Imagem, Protocolo e Gestão de Eventos, pela Universidade Europeia, e em Direito e Segurança pela Universidade Nova de Lisboa. Na sua carreira desempenhou vários cargos na GNR, designadamente: Comandante de Pelotão do 2.º Esquadrão Moto e do 3.º Esquadrão a Cavalo da Unidade de Segurança e Honras de Estado; Oficial de ligação do 10.º Contingente do Subagrupamento Bravo – Timor-Leste; Ajudante-de-Campo do General Comandante-Geral da GNR; Comandante do Esquadrão Presidencial na Presidência da República; Chefe da Repartição de Relações Públicas e Imagem da GNR. Atualmente desempenha funções como Adjunto do Oficial de Segurança na Assembleia da República.

Tendo sido este o segundo funeral com honras de Estado do período democrático, a APorEP está convencida de que este texto poderá servir para o “guião” dos próximos. Não esquecendo que este, como o anterior, foi um enterro laico, podendo haver outros que serão religiosos e que obrigarão a introduzir alterações significativas no programa.

Falta agora elaborar um decreto sobre as regras de funerais de Estado em Portugal para facilitar a tarefa de quem tiver de os organizar no futuro.

Honras Fúnebres de Estado de Jorge Sampaio – uma visão protocolar do cerimonial militar 25SET21

#