7ba6fd965fb2956a308af79acc838285A mesa redonda que vai decorrer durante a tarde de dia 5 de Novembro no âmbito das VII Jornadas Internacionais de Protocolo procura responder à pergunta «Os eventos protocolares são uma mais valia para as instituições?», contando com a participação de personalidades do sector público e privado português, sendo moderada pelo Embaixador Embaixador Manuel Corte-Real.

O Embaixador Manuel Côrte-Real é licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa tendo ingressado em 1970 no quadro diplomático do Ministério dos Negócios Estrangeiros onde começou pró exercer funções no Serviço de Protocolo do Estado. Da sua ampla e ilustre trajectória diplomática realçamos o facto de em 1993 ter sido nomeado como primeiro Embaixador de Portugal em Kiev, cabendo-lhe a criação de raiz daquele novo posto diplomático. Em 1995, foi nomeado Chefe de Gabinete do Presidente da 50ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas. Em 1998, foi nomeado Chefe do Protocolo da Exposição Universal de Lisboa e no final do mesmo ano, assumiu as funções de Presidente do Instituto Diplomático. Em 2000, foi nomeado Chefe do Protocolo do Estado tendo em 2002, assumido as funções de Embaixador de Portugal em Berna, onde se manteve até finais de 2005. Regressado a Lisboa assumiu novamente o cargo de Chefe do Protocolo do Estado, no âmbito do qual organizou diversas Visitas de Estado a Portugal e do Presidente da República ao estrangeiro, bem como os importantes eventos internacionais decorrentes do exercício pelo Governo Português da Presidência da União Europeia em 2007, destacando-se o Conselho Europeu que encerrou as negociações do Tratado que se veio a chamar de Lisboa, as cerimónias da sua Assinatura, e a Cimeira UE- Rússia e UE- África, que reuniu em Lisboa mais de 70 Chefes de Estado e Governo.

É uma honra para a APEP poder contar uma vez mais com a presença do Embaixador Manuel Côrte-Real, sócio honorário da nossa Associação neste encontro anual de reflexão e debate sobre eventos e protocolo.

#

Deixe uma resposta